quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Londres é Brogodó


Os atuais distúrbios em Londres, Inglaterra, onde milhares de jovens estão nas ruas em protesto contra a total falta de perspectiva de futuro, fruto de uma insistente política neoliberal, promovida pelo governo de subordinação aos interesses do mercado financeiro e custeada por perdas sociais que a grande mídia mundial e brasileira (Globo, Veja e cia.) insistem em qualificar como mera desordem sem conteúdo político, tem revelado a verdadeira e odiosa face do capitalismo mundial, que não se intimida em usar não só os recursos como as forças de repressão do Estado contra seus próprios cidadãos afim de garantir a preservação de seus interesses.
 
Assim como o reizinho da novela global Brogodó, Timóteo Cabral, que reprime toda e qualquer insatisfação e contrariedade popular aos seus desmandos com violência, prisões, violações e repressões de toda ordem, o governo inglês, insensível aos interesses de seu povo, além de manipular a opinião pública através dos meios de comunicação, transformando os protestos em mero vandalismo, dando destaque à pequenos grupos marginais que usam o anonimato para praticar crimes em vez de mostrar com clareza a revolta dos jovens londrinos com o desemprego crescente, com a retirada de mínimos direitos sociais duramente conquistados para custear o lucro de banqueiros e especuladores e a total falta de perspectiva em relação ao futuro, articula todo o aparato do Estado Inglês como juízes e polícia (fala-se em utilizar o exército) para reprimir o direito do cidadão, alijado de seus direitos por leis e acordos injustos e obtusos, de manifestar seu descontentamento e opinião, promovendo uma verdadeira caça às bruxas e cala-boca geral na população que flagrantemente vem sendo expropriada de sua dignidade e direitos pelas ações do governo à serviço do mercado financeiro e das corporações.
 
Entre as medidas draconianas adotadas para cercear a democracia, está o uso de convocação de pessoas para as manifestações por meio de redes sociais como o facebook, (curiosamente, as mesmas ferramentas e uso tão elogiados pelos europeus para a queda do ditador egípcio) como prova para prender e condenar manifestantes, num ato arbitrário, ditatorial e sem precedentes, dignos de corar de inveja o ditadorzinho de Brogodó, ou os ex-aliados Kadafi da Líbia e Assad da Síria.
 
Coisas da ilha da democracia, que treinou ditadores em seus bancos universitários como o próprio Assad e os filhos de Muamar Kadafi, para subordinarem seus povos aos interesses particulares e pessoais de uma pequena elite financeira e política mundial e que agora, assim como seus pupilos, dão claros exemplos de que não tem o menor escrúpulo em usar o aparato do Estado para sacrificar e oprimir todo o povo.
 
Talvez seja o momento histórico do povo europeu e inglês repetir a história e promover uma nova Queda da Bastilha, a Queda do Big Ben ou melhor, como diria V de Vingança, da obra de Alan Moore, a Queda do Parlamento Inglês, com direito à guilhotina no pescoço da realeza, afinal, que democracia é essa que sustenta uma ditadura secular com toda a pompa e circunstância?
 
Que o povo enfim mostre sua força e revele aos maus governantes quem de fato manda
 
Frank Maciel
 
JM Veículos -      O lugar do seu carro novo (12)3922-6969
Maciel&Maciel Consultoria e Treinamentos (12)7815-9052 ID82*103767

Nenhum comentário:

Postar um comentário